7 Fatores que Levam Uma Empresa ao Fracasso

fatores que levam uma empresa ao fracasso
Compartilhe:

Há vários fatores que levam uma empresa ao fracasso e conhecê-los ajuda a preveni-los na hora de empreender. O Brasil registrou recorde histórico em 2021 com a abertura de 4,026 milhões de novas empresas.

Conforme a Agência Brasil, a grande maioria das empresas ativas no Brasil – cerca de 13,2 milhões do total de 18,9 milhões, são empresas individuais, incluindo o microempreendedor individual (MEI). Em seguida, vêm as empresas Sociedade Empresária Limitada, com 4,4 milhões de registros. Os negócios no formato Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli) somam 984.573, as Sociedades Anônimas são 175.355 e as cooperativas totalizam 34.520 no país. Os demais tipos de empresas somam 64.419. 

fatores que levam uma empresa ao fracasso e soluções

No mesmo período de 2021, no entanto, o Brasil também registrou o fechamento de 1,410 milhão de empresas.

O setor de microempreendedores individuais (MEI) é o que apresenta a maior taxa de mortalidade de negócios em até cinco anos, segundo pesquisa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Neste segmento, há maior proporção de pessoas que estavam desempregadas antes de abrir o negócio, os assim chamados “empreendedores por necessidade”, e que não tiveram condições de se capacitar adequadamente e aprimorar a gestão.

Sendo assim, é importante considerar a possibilidade de não se ter sucesso ao abrir um negócio. São vários os fatores que levam uma empresa ao fracasso, sendo que “a menor taxa de sobrevivência entre as pequenas empresas está na capacidade de gestão, à maior experiência e ao conhecimento do ramo”, segundo o presidente do SEBRAE, Carlos Melles.

Não há uma receita simples para evitar o fracasso empreendedor. Contudo, é possível reduzir essa probabilidade conhecendo os fatores que levam uma empresa ao fracasso e adotando medidas de precaução.

Continue a leitura para saber mais sobre os fatores críticos de insucesso.

Principais Fatores que Levam uma Empresa ao Fracasso

1. Ausência de Conhecimento de Mercado

A ausência de conhecimento do ramo é um dos principais motivos que levam uma empresa ao fracasso. Antes mesmo de ingressar em uma área ou escolher em qual empreender é preciso pesquisar e levantar informações sobre mercado de atuação pretendido.

O conhecimento sobre o mercado não se refere somente aos produtos ou serviços ofertados. É preciso considerar também outras questões, como a marca ou empresa, o público ideal e seus hábitos e comportamentos de consumo, os competidores e benchmarks, entre outros parâmetros importantes. Além disso, é primordial facilitar o processo de trabalho interno, tornando-o eficiente, produtivo e adequado para atender às expectativas do público-alvo.

Para ajudar as empresas a refletirem sobre a situação atual e prospectar um futuro melhor em seu ambiente de negócios, há uma ferramenta de gestão que deve ser aplicada antes de o negócio entrar em funcionamento: o Plano de Negócios.

2. Não Possuir um Diferencial

Obter inspiração de empreendedores bem-sucedidos e moldar sua melhores práticas pode ajudar no desenvolvimento de novos empreendimentos. Aqui estamos nos referindo a empresas que são referência e um exemplo a seguir,  os chamados “benchmarks”.

Contudo, é preciso estar atento para que a empresa não se torne somente mais uma entre muitas outras iguais no mercado. A concorrência aumenta significativamente a cada ano com a entrada de novas empresas no mercado, oferecendo produtos e serviços parecidos e comoditizados. Isso torna mais difícil se diferenciar no mercado.

Por este motivo é preciso criar uma identidade própria e um diferencial para se posicionar como uma marca única no mercado e na mente do consumidor. O consumidor não se decide pelas características ou atributos de um produto como fazia antigamente. Hoje o consumidor deseja conectar-se às marcas com as quais ele se identifica e cria uma conexão emocional. Assim, marcas precisam ser diferenciadas, relevantes, proprietárias e consistentes na comunicação para terem sucesso.

O Branding é a ferramenta que ajuda a posicionar a marca na mente do consumidor de forma a gerar conexão e identificação com o público que se deseja atingir. Isto é feito com posicionamento de marca, elementos visuais e verbais e a experiência do consumidor nos pontos de contato com a marca.

Leia também: Branding e Marketing para Pequenas Empresas

3. Não Realizar um Planejamento

Contar com a sorte ou “achismo” não deve ser o pensamento de uma mente estratégica ou empreendedora. Ao invés de entrar em um ciclo de tentativas, erros e frustrações sem fim, o empreendedor tem uma importante ferramenta à sua disposição para planejar a rota de sucesso de seu negócio, o Planejamento Estratégico.

O Planejamento Estratégico é uma ferramenta de gestão que utiliza-se de uma análise prévia e ampla dos fatores externos e internos de uma empresa, com o intuito de estabelecer objetivos e ações para alcançá-los.

Um planejamento passa por 3 etapas de reflexão: Quem somos?, Para onde vamos? e Como vamos chegar lá? Em outras palavras, trata-se da realização de um diagnóstico da empresa, direcionamento estratégico e um plano de ação.

Um plano de ação é útil para simplificar a organização e realização de atividades do dia a dia, facilitar a tomada de decisões e a escolha de investimentos mais inteligentes.

Por isso, recomendamos priorizar o planejamento estratégico antes de sair fazendo as coisas sem critério. Nossa consultoria oferece apoio especialista em Marketing e Branding com aplicação de metodologias consolidadas e validadas em meios acadêmicos e executivos na pequena empresa.

Leia também: Planejamento Estratégico de Marketing na Era Digital: Como Fazemos

4. Descontrole Financeiro

Não ter uma boa organização nem conhecimentos sobre gestão financeira pode levar a um descontrole das contas. O hábito de não controlar os pagamentos e recebimentos pode gerar uma desordem financeira, impedindo avanços e investimentos da empresa. Sem margem para aplicações ou manter um fluxo de caixa positivo, é difícil fazer com que um estabelecimento evolua.

A área financeira é o combustível de uma empresa e é ela que possibilitará o seu desenvolvimento e estabelecimento no mercado. Por esse motivo, é preciso ser rigoroso no controle das contas corporativas, separando-as, antes de tudo, das contas pessoais. Contratar pessoas qualificadas e/ou adquirir conhecimentos na área é um importante passo para garantir a saúde econômica da empresa.

5. Equipe Não Qualificada

É importante ser criterioso ao escolher a equipe de trabalho. Procure profissionais qualificados e certificados em suas áreas de atuação. Dessa forma, setores importantes da sua empresa serão tratados com competência e conhecimento por pessoas que sabem o que tem que ser feito.

Além de ter colaboradores eficientes para auxiliar na parte administrativa e financeira do negócio, ter funcionários comprometidos na área de atendimento ao consumidor é fundamental. Para isso, não basta ter um bom currículo, é preciso treiná-los para que saibam usar de empatia no processo de atendimento com o objetivo de atender bem o público-alvo em todos os pontos de contato da empresa. Eles estarão também representando a marca e devem fazê-lo de forma consistente e coerente com os valores e o propósito da marca.

O Branding é a ferramenta ideal que ajuda não só a atrair clientes, mas também a impactar as equipes de trabalho. Estará à frente a empresa que souber atrair os melhores talentos por conta do propósito e dos valores com os quais os colaboradores possam se identificar e se manter motivados.

6. Divulgação Ineficiente

Ações de marketing são essenciais para que uma empresa, seus produtos e serviços sejam divulgados de forma a atrair a atenção dos clientes certos. Entretanto, muitos empreendedores subestimam o papel do Marketing para o sucesso de um negócio. Diferentemente do pensamento comum, o Marketing vai muito além das redes sociais.

Ao realizar o Planejamento Estratégico de Marketing, nossa consultoria poderá apontar quais os canais de comunicação mais apropriados ao público que a empresa deseja atingir. Assim, o empreendedor terá um plano de ação que servirá de guia para implementar as atividades de marketing com confiança.

Além disso, manter os clientes já conquistados e fidelizá-los, também são funções que tanto Marketing como Branding ajudam a desempenhar. Com um trabalho bem planejado e executado, aumentam as chances de conquistar novos clientes, estimulá-los a fazer novas compras e se tornarem divulgadores espontâneos da sua marca.

7. Falta de Mentalidade Empreendedora

A falta de mentalidade empreendedora é um dos fatores que levam uma empresa ao fracasso. Luciane Abramo, empreendedora e autora do livro “Desenvolvendo a Mentalidade Empreendedora”, menciona que “existem muitos riscos e incertezas nos negócios hoje, decorrentes das grandes mudanças globais e inovações disruptivas.”

Ela diz também que o empreendedor “precisa conhecer muito bem o seu negócio, ter um planejamento, produtos e serviços definidos; fluxo financeiro e operacional; diferenciais e muitas outras etapas que podem vir de cada mercado; aprender a conviver com grau de risco e incertezas; reduzir a probabilidade de danos; utilizar formas e ferramentas tecnológicas para a gestão do negócio.”

Assista ao vídeo e veja outras dicas da autora para alcançar melhores resultados como empreendedor:

Saber quais as principais causas de falhas nos negócios pode ajudar o empreendedor a evitar erros. É fundamental desenvolver uma mentalidade empreendedora, conhecer as forças e fraquezas da empresa, entregar o prometido e cumprir a promessa da marca, pois são fatores que irão determinar o futuro e o sucesso da empresa.

Seja estratégico e comece com planejamento para fazer a marca e seu Marketing acontecer. Fale conosco e agende uma consultoria gratuita.

Outras leituras recomendadas:


Foto da consultora

Claudia Hofmann é consultora estratégica e ajuda empresas a estruturarem seu Marketing e Branding para prosperar.

AGENDE UMA CONSULTORIA GRATUITA


Compartilhe:

Deixe um Comentário